No Dia Mundial do Livro, os Embaixadores Forum Estudante deixam-te uma lista de sugestões de leitura para estes dias de isolamento! Conhece oito opções.


#1 "Uma Cana de Pesca para o Meu Avô", de Gao Xingjian


maxresdefault

 
«O livro que recomendo para este tempo de isolamento é “Uma Cana de Pesca para o Meu Avô”, de Gao Xingjian [Prémio Nobel da Literatura em 2000]. É um livro de seis contos repletos de amor, de saudade, tristeza e amizade. Com palavras simples e um enredo pouco complexo, de acessível leitura e interpretação, o autor leva-nos a viajar pelo seu mundo, fazendo-nos viver e sentir as variadas emoções das personagens dos pequenos contos. Seja a provocar-nos sentimentos de felicidade e de serenidade, seja quase a tirar-nos o folêgo, nestas pequenas histórias sente-se, realmente, a humanidade e o que faz de nós humanos.»

Teresa Silvestre, 17 anos, Escola Secundária de Arouca

 

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.


 
#2 Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J.K Rowling

Harry Potter e a Pedra Filosofal livro


«Em tempos de isolamento, há algo melhor do que mergulhar num contexto mágico como o de Hogwarts?! Não me parece! J.K. Rowling nunca desiludiu e, neste livro em particular, conta como toda a história do menino Potter começou, colocando o leitor na pele d' O Rapaz Que Sobreviveu. Um pouco mais tarde, graças ao trio de ouro formado com Ron e Hermione, podemos acompanhar as incríveis aventuras e peripécias deste primeiro livro da saga. Pessoalmente, apesar das ótimas traduções para Português, recomendo a versão original, escrita na língua inglesa (Harry Potter and the Philosopher's Stone), uma vez que é nesta que se encontram detalhes intencionalmente inseridos pela própria escritora».

Henrique Lage, 15 anos, Escola Básica e Secundária Beira A Douro.

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.



#3 "Os Filhos da Droga", de Christiane F


9 filhos da droga 1024x634

 
«Recomendo um livro que me fez arrepiar, pela realidade que retrata, pela proximidade de idade com a protagonista e por saber que se baseia em facto reais. É uma história que vale a pena ler. Ler é cultivar a nossa mente e poderá ser especialmente importante nesta fase de isolamento. Se, por um lado, os filmes nos podem transportar para a realidade que representam, os livros têm o poder de estimular a nossa imaginação e os nossos sentidos. Com meia dúzia de palavras, conseguimos construir um cenário mental, que é diferente para todos, mesmo que a frase lida seja a mesma»

Inês Sousa, 18 anos. Escola Básica e Secundária Coelho e Castro.

 

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.



#4 "Persépolis", de Marjane Satrapi

aca2f76adc448f59ed86a17f3bd7e305

 
«O livro que eu recomendo a todos é "Persépolis", de Marjane Satrapi, pois, para além de se tratar de uma fascinante autobiografia em formato gráfico, ilustra, do ponto de vista de uma rapariga iraniana, a ação de regimes opressivos. A combinação da intimidade, ternura e ironia revela a realidade da vida entre guerras e revoluções, desafiando a imagem que os ocidentais têm do Irão»

Lena Hertel, 17 anos, Escola Secundária Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém

 

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.



#5 "Histórias de Loucura Normal", de Charles Bukowski

 CB

 

«A meu ver, uma excelente leitura para este tempo de isolamento seria o "Histórias de Loucura Normal" de Charles Bukowski. Para além de ser o ideal para quem perde o foco ao ler, uma vez que se divide em imensas histórias curtas diferentes entre si, penso que é especialmente cru e realista. São páginas de leitura rápida, numa escrita cativante, em que se relata a vida marginal de Los Angeles, retratada através de histórias insólitas e inquietantes, sempre numa ética pessoal e quase irada. Aconselho imenso e acredito que será tudo exceto aborrecido. Assim que terminarem um capítulo deste livro, vão desejar logo partir para o seguinte!»

Patrícia Marques, 18 anos, Centro de Estudos de Fátima, Fátima

 

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.



#6 "Apenas um Dia", de Gayle Forman

 

apenas um dia frente 1.jpg.1000x1353 q85 crop

 

«Um livro que aconselho é "Apenas um Dia". É um livro que, de certeza, os românticos vão adorar. A obra conta a história de um jovem norte-americana, Allyson Healey, que tem uma vida exatamente igual à sua mala de viagem: organizada e sistematizada. A partir daí, o livro fala de amor, mágoa, viagem, identidade e sobre os acidentes provocados pelo destino, mostrando que, às vezes, para nos encontrarmos, precisamos nos perder primeiro… E que muito do que procuramos está bem mais perto do que pensamos»

Beatriz Ribeiro, 19 anos, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

 

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.



 #7 "O Coração de Simon Contra o Mundo", de Becky Albertalli

IMG 9459

 

«Com "O Coração de Simon Contra o Mundo", a psicóloga Becky Albertalli "saltou para as bocas do mundo" e chegou ao fundo do coração dos leitores. Em "Os Altos e Baixos do Meu Coração", a simplicidade e a leveza da escrita da autora fazem-nos sentir como de estivéssemos a ler o diário da personagem. A obra aborda temas como a sexualidade e a estética humana, barreiras que, por vezes, nos dividem nas relações com os outros. A escrita de Becky Albertalli e os temas atuais que aborda, a relação pura dos acontecimentos com a vida real e a maneira como a autora chega até nós tornam este livro um romance obrigatório para qualquer adolescente!»

Maria João Saraiva, 16 anos, Escola Básica e Secundária Ferreira de Castro, Oliveira de Azeméis

 

Clica nas setas abaixo para conheceres as restantes opções.


 

#8 "O Tatuador de Auschwitz", de Heather Morris


o tatuador de auschwitz 739x1080

 
«O livro que aconselho para esta quarentena é “O Tatuador de Auschwitz”. Penso que esta obra nos mostra, com um pouco de ficção, o impacto que o Holocausto teve na vida das pessoas. Foi um livro que conseguiu captar a minha atenção do início ao fim, por ter relatos intensos de como era a vivência nos campos de concentração e pela sua história de amor ditada pelo horror daquela época que vos irá deixar com o coração apertado.»

Mafalda Anaia, 18 anos, Escola Secundária José Gomes Ferreira