Num contexto de isolamento social e ensino a distância, o seu educando necessitará de todo o apoio possível, para realizar uma adaptação sem problemas. Assuma um papel ativo, mostrando interesse nas matérias que estão a ser lecionadas e estudadas. Procure reforçar a ideia de que esta é uma situação nova para todos os intervenientes, pelo que devemos estar atentos e calmos, quanto a possíveis desenvolvimentos.

A criação de um ambiente equilibrado e que não exerça demasiada pressão no seu educando ou educanda será fundamental para que o estudo venha a ser produtivo. Por outro lado, uma participação ativa fará com que o ou a estudante se sinta acompanhado, neste momento de alguma compreensível confusão.

Desde logo, poderá começar por ajudar no estabelecimento de uma rotina. Isto implica estar atento aos diferentes horários indicados pela escola, podendo participar na gestão dos ritmos de aprendizagem e estudo. A criação e cumprimento de horários poderão ter uma importância especial, nesta fase, em que todas as rotinas (bastante sedimentadas) foram quebradas. Como tal, acompanhe os planos do seu educando ou educanda no que diz respeito à lista de tarefas a cumprir, trabalhos a realizar e horários de estudo.

A sua participação ativa no estudo, fazendo perguntas de teste ou auxiliando a criar esquemas e mapas mentais, poderá ser indicada, dependendo das características do estudante. Na falta do contacto direto com colegas, com quem poderia colocar e debater dúvidas, o estudante poderá ter no encarregado de educação um apoio importante, enquanto receptor da expressão das suas dúvidas e dificuldades. Este processo ajudará o estudante a compreender melhor o obstáculo que encontrou e, consequentemente, poderá levar à solução.

educando