Estar atento ao trabalho realizado pelo seu ou sua educando ou educanda será o fundamental para poder diagnosticar eventuais problemas motivacionais. Problemas de adaptação à modalidade de ensino a distância, a separação de amigos ou colegas ou a quebra das rotinas poderão ser algumas das causas.

Uma das opções que poderá contribuir para este objetivo passa pelo incentivo do estudo online. A medida poderá parecer pouco intuitiva, tendo em conta que o estudante já passará grande parte do seu tempo ligado a este tipo de tecnologia e informação. Contudo, o foco estará em auxiliar o seu educando ou educanda a diversificar as formas de absorção de informação, procurando novas fontes de aprendizagens, mais aproximadas à sua realidade, no contexto atual. Procure materiais educativos digitais sobre as matérias em estudo (como vídeos explicativos no YouTube, conteúdos produzidos por influencers ou infografias animadas em publicações internacionais, por exemplo).

A sua participação no estudo também poderá ser fundamntal. Na falta do contacto direto com colegas e amigos, o encarregado de educação pode ter um papel importante na discussão das matérias em estudo, procurando ultrapassar os obstáculos. Por outro lado, fazer perguntas de teste ou ajudar na construção de mapas mentais podem assumir-se como opções mais dinâmicas de estudo.

O estudo não termina na matéria que é lecionada nas aulas e, por isso, procure incentivar a realização de atividades complementares, que estimulem a criatividade e a imaginação. Incentivar a leitura poderá ser uma boa opção, procurando obras que possam aproximar-se do perfil e gostos do estudante. Realizar jogos ou dinâmicas que envolvam a família são outra das formas de diversificar a atividade intelectual. De igual forma, o exercício físico contribuirá para a manutenção de um estilo de vida saudável, mas também para o alívio de alguma tensão ou stress acumulado.