Daniel Bulhões viajou mais de 1500 quilómetros para chegar à Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital (ESTGOH). Natural dos Açores, o presidente da associação de estudantes destaca as principais mais-valias desta escola.

Foi depois de procurar uma instituição de ensino em Portugal Continental que Daniel Bulhões encontrou a ESTGOH. Na altura, dois fatores captaram o seu interesse. Por um lado, agradou-lhe perceber que existia “uma aposta em especial nos estágios”, por outro, o curso de Gestão entrava no seu primeiro ano de atividade. “Pensei que era uma oportunidade de participar numa nova experiência e até influenciar o próprio método de ensino”, conta.

A ESTGOH passou a ser uma das suas primeiras escolhas. Uma decisão que Daniel sustenta na “vontade de arriscar e pensar pela própria cabeça”. Oliveira do Hospital agrada-lhe por não ser uma localidade “grande ou movimentada”, explica: “Os estudantes devem pensar nas suas características e perceber se se enquadram no meio envolvente”.

A adaptação, contudo, teve o seu grau de dificuldade: “Eu vim de muito longe, não estava habituado à diferença fundamental que é não ver o mar, por exemplo”. Hoje, Daniel já se sente perfeitamente adaptado, sendo que as paisagens naturais de Oliveira de Hospital também cumpriram o seu papel. “Uma das coisas que me ajudou foi ir ao rio, para ver a água”, conta o natural de São Miguel, entre risos.

 ESTGOH 02 1140

Apoiar a partir do primeiro dia

A adaptação foi também facilitada, recorda Daniel Bulhões, pelo facto de ter sido “muito bem acolhido” pela comunidade académica: “Professores, estudantes e funcionários criam um ambiente que não iria encontrar noutro lugar – existe um calor muito próprio que nos oferecem e que faz a diferença”.

Por outro lado, todos os dias, a escola envia emails com vagas de emprego e ofertas específicas para estudantes em ginásios, lavandarias, oficinas, etc. Desta forma, explica o presidente da Associação de Estudantes da ESTGOH, é possível “criar uma ligação com a comunidade local e garantir a melhor adaptação”.

De resto, uma das razões que o levou a concorrer à associação de estudantes foi o reforço do apoio junto dos estudantes, procurando “criar uma ligação desde o início do percurso académico e em todas as vertentes: durante as matrículas, na procura de casa, entre outras”. “Queremos mostrar as qualidades que temos cá e cativar os alunos desde o início”, conclui.

 

Vê a oferta formativa completa em: www.estgoh.ipc.pt